domingo, 18 de março de 2012

Futebol é chato. Programas de TV no domingo também são chatos. conversas mecânicas são chatas e irritantes. Pessoas superficiais são extremamente chatas e... a superficialidade é chatíssima. Ter conta no banco é chato. Não ter dinheiro é estupidamente chato. Não ter tempo para o ócio é horrivelmente chato. Não ter um bichinho de estimação também é muito chato. Envelhecer é nostalgicamente chato. Mas amadurecer é chato e bom. Ler sem vontade é chato. Engordar sem perceber é mais que chato. Se sentir feia em dias não propícios para isso, é chato. Gastar o dinheiro dos pais é bem chato, mas a gente acostuma. Não ter sobremesa depois do almoço é tristemente chato. Se despedir das pessoas é chato. Saudade é boa, mas é chata. Tristeza é criativamente chata.  Não ter assunto é chato. 

É tanta coisa chata na vida, que quando se encontra algo bom, a gente ama de verdade. A fim de que o amor apague as drogas chatas da vida... Mas, o amor não ofusca as coisas chatas. Ele só nos faz não nos importarmos com a existência das coisas chatas. E depois que ele passa, tudo volta a ser chato. O mundo é chato, as aulas são chatas, os parentes ficam a cada dia mais chatos. As pessoas felizes são chatas. As tardes sem músicas são incansavelmente chatas, os chefes são filhos da puta chatos. É chato sentir tudo chato.


domingo, 11 de março de 2012

Café

Sempre ouvi dizer que quem tira as bordas do pão, bom sujeito não é. Pois é, não sou uma boa pessoa. Não consigo comer aquelas cascas secas do pão. Coloco café no copo e também não consigo beber tudo. Sempre deixo um pouco no fundo. É que no fundo, se aglomera uma nuvem preta de café, não é ruim, mas não dá vontade de beber. E eu, eu só faço o que me dá vontade. As coisas bobas da vida, eu só faço se quiser. Porque pelo menos assim, sei que posso escolher alguma coisa na minha vida. Já bastam as que eu não posso escolher. A parte burocrática da ‘real life’. Estudar, trabalhar, pagar contas, acordar cedo, ser educada, usar calça jeans no calor. Putz. Usar caça jeans no calor é a pior parte. Não menos pior que agradar pessoas que eu não quero. Não menos pior que almoçar sem fome. Não menos pior, nem sei se essas três palavras juntas podem soar corretas e harmônicas.  Só sei que a vida é uma grande, enorme, gigantesca mentira disfarçada de boa pessoa. E eu não quero ser assim. Sou ruim. Sou chata. Sou egoísta quando quero. Sou rancorosa, sou ruim. Sou ruim sem querer ser, só por natureza. Você não me engana vida. Nunca conseguiu.

sábado, 10 de março de 2012

As pessoas. Ah, as pessoas

– As pessoas nunca admitem o que elas pensam.

– Porque você tá falando isso agora?

– Porque essa talvez seja a única verdade do ser humano. Não admitir que tenha opiniões medíocres, estranhas, egoístas ou até bobas sobre trocentas coisas.

– Tá e daí? Isso muda alguma coisa?

– Se isso muda alguma coisa? [Risos] Isso muda absolutamente tudo; acho que muda até a índole humana.

– Mas, existem pessoas que dizem tudo o que pensam!

– Claro que não! Me apresenta alguma?

– Você.

– Eu?

– Você sempre fica filosofando sobre a vida, dizendo mil coisas que nunca fazem sentido, mas são interessantes. Você me conta segredos bobos. É você a pessoa das verdades.

– Eu! A pessoa das verdade!?!?! Não mesmo....

–... Você sempre tá certa sobre alguma coisa. As pessoas ao seu redor são sempre ignorantes, estranhas, acéfalas. Isso irrita ás vezes.

– Ai, tá vendo? Você sempre pensou isso, mas nunca me contou e nem iria me contar se eu não tivesse falando sobre essas coisas.

– Tá, tá bom. Eu percebi que você é assim, mas eu nunca quis falar para não te irritar e, provavelmente, você iria me achar “o” ignorante como tá achando agora!

– Não, eu não tô te achando um ignorante. Na verdade, de todas as pessoas que eu conheço você é um dos únicos que não é ignorante.

– Tá, mas então eu vou aproveitar e dizer também que nem sempre você tá certa. Apesar de saber falar sobre tudo, você nem sempre tá certa sobre as coisas.

– Eu sei

– Não, você não sabe disso! Eu acabei de te contar, porque eu sei que todas às vezes que você conversa sobre alguma coisa, você acha que tá certa! E você tá fazendo isso agora, comigo!

–Quê? Só porque eu disse que eu sei que nem sempre estou certa.

– Ai, percebeu?

– Cara! Você pensa isso mesmo?

– Eu não tô viajando! Eu tô tentando provar que você nem sempre tá certa, e quando eu falo isso você deveria aceitar e não dizer “ah, eu sei”, porque ai você faz exatamente o que to criticando.

– ... Sério. Desculpa. Mas eu sei que nem sempre tô certa sobre as coisas. O meu problema é que quando eu falo, tento retirar algo bom dos argumentos das pessoas, mas ai elas vão e fodem com tudo.

- Eu já fodi tudo?

- Não. Você que é foda.

- ...

- ...

- E porque você acha que as pessoas têm medo de dizer tudo o que pensam? Eu acredito que seja por termos medo de nos mostrarmos como preconceituosos, ignorantes, radicalistas, desinformados...

- É melhor um cara viver como um imbecil com um único amigo, do que se mostrar extremamente realista e não ter ninguém por perto.As pessoas não dizem o que pensam por isso, por medo de perder as outras... Eu já tive medo de perder pessoas, hoje eu simplesmente finjo que não tenho mais.

domingo, 4 de março de 2012

Música + calor + churrasco + cerveja

Sabe o que me veio à cabeça agora? Que tenho mais 20 anos para me sentir velha. Tenho mais tempo para achar que estou fazendo errado. Só me veio à cabeça isso. Eu sou jovem, porra! O tempo continua passando. Mas eu ainda sou jovem. 


Não sou mais aquela imbecil que acha que vai mudar o mundo com uma caneta na mão. Mas ainda sou jovem. O Mundo continua girando ao meu redor. Ainda penso que as pessoa são retardadas e eu sou avançada para minha idade. Permaneço com aquela coisa de imaginar que não me encaixo em nada e nenhum lugar. Ainda posso beber coca-cola gelada sem sentir os dentes quebrando. Ainda posso amar um bichinho como se ele fosse meu irmão e não meu filho. 


Ainda sou o futuro da minha família. Da minha mãe. Do meu pai. Dos meus tios.


Só presenciei o mandato de Fernando Henrique Cardoso, Lula e Dilma. Eu sou Jovem, porra! Meus ídolos são novos, mortos, mas novos. Minhas músicas são inaudíveis para meus pais. Meus escritores preferidos são contemporâneos. Meus poemas são abstratos.


E sabe qual é o alívio de você saber que ainda é jovem? é você realmente saber que ainda é jovem. Quando o maior medo é conseguir se definir como pessoa. A maior aquisição é arranjar um emprego de  quatrocentos contos. Ter dinheiro para comprar Cd's e livros. Esperar um show como se fosse a coisa mais importante da vida. Amar e odiar tudo com a mesma brevidade da existência de um bolo de chocolate com morangos na geladeira de casa.


Saber falar "acabou" e "começou" com a cara mais lavada do mundo. Desfazer-se de pessoas e rir disso. Depois se sentir uma ditadora. Depois sentir angústia. Depois não sentir mais nada. Achar que tem alguém o tempo todo filmando a sua vida, porque você se sente um fodão incompreendido. É olhar p/ aquele religioso tradicional com certa pena. É saber que aquele cd que tá guardado na cômoda é muito, MAS muito mais importante do que deus pra você. Mas poucos tem a coragem de admitir. Eu tive.


É tudo isso aí que falei. Eu senti agora. Nesse calor infernal que me faz querer hibernar fora do tempo... Faltou uma coisa: Quando se é jovem a rotina, qualquer rotina, é uma merda. Mas é uma MERDA com letras maiúsculas!




PS: Eu ainda vou conhecer o João de Santo Cristo!