sábado, 7 de maio de 2011

MERDA


"Um dia vocês esquecerão de mim até o momento em que ouvirem falar do lançamento de um filme chamado MERDA". Essa foi a frase que saiu da minha mente doentia na semana passada, quando estava a conversar com alguns amigos. E para falar a verdade, espero que isso aconteça, ressurgir na mente de quem me esquecer, por causa de MERDA. 

Merda é uma palavra que me acompanha desde sempre, faço uso dela quando perco a chave de casa, esqueço o cartão do restaurante universitário ou quando vejo coisas engraçadas. Merda entra em todo o lugar, e sempre que percebo alguém fazendo cara feia para as minhas merdas, voluntariamente, passo a melar com mais merda ainda as minhas palavras. Somos todos podres, então, não me venha com conversinhas alheias de que a escolha de minhas palavras refletem o que sou. E como explicar todas aquelas figurinhas repetidas que se espelham na conduta "de um santo", mas são tão merdas quanto os outros tantos?

Cansei e me canso todos os minutos de quem reprime a merda. Poucas são as pessoas que me fazem voltar os olhos a seus detalhes, e são exatamente essas que sabem falar uma boa MERDA quando necessário. A merda pode ser pejorativa ou bonitinha, contanto que esteja lá. E começo já a pensar em como seria um filme com o nome de merda. Estilo O cheiro do ralo? ou Saneamento básico? Com um roteiro cômico ou embaraçoso? Por enquanto, só sei que se chamará MERDA .

Agora me despeço, pois tenho algumas merdas a resolver. E quem não as tem? Me diga.



Magalli Lima

Um comentário:

  1. Discordo com você Maga, merda não entra em todo lugar, tem lugar que ela sai...rs. Brincadeirinhas à parte me amarrei no texto!!!

    ResponderExcluir