quarta-feira, 29 de julho de 2009

Eu quero ser quando crescer....


Ainda há tempo para pensar nisso?
Astronauta,
Agente do FBI,
Caça vampiros!
Milionária
. ..
.. .
...

Não!, nada disso, "Jornalista" é a palavra certa. Não ligo se não é preciso de diploma para exercer a profissão, sei que comigo será diferente, porque eu quero que seja diferente, eu vou fazer ser diferente. E por mais que me desanimem, que digam que é incerto, perca de tempo, paranóia, é o que quero e não vou desistir de fazer.

Não sei se acho bom que não precise de diploma, minha opinião sobre isso ainda está se formando, o que eu sei é que os filhinhos de papai riquinhos e mimados não tentarão mais fazer jornalismo só para garantir o velho e valioso diploma (que, por sinal, se compra em qualquer esquina), agora eles pensarão duas vezes antes de tentar fazer uma profissão que outras pessoas sem diploma possam exercer.

Ainda há outros pontos positivos, as "faculdadezinhas" de merreca que ofereciam o curso de jornalismo agora irão fechar pois não será rentável mantê-lo, e os parasitas que antes estavam dentro da sala de aula dormindo para garantir o diploma agora serão obrigados a dormir em casa e, prevalecerão os mais interessados, que serão os melhores, que não ligam se há diploma ou não, pois estão lá para se FORMAR e não para receber um mero papel escrito o próprio nome a que todos o chamam de DIPLOMA.

Passei a observar a opinião das pessoas e percebi que só se irritam com isso os indivíduos medíocres que queriam o status de jornalista para se dizer mais intelectual. Agora as bailarinas do caldeirão do Huck e do Faustão não terão mais pretestos para divulgar nas revistas que são inteligentes e que fazem jornalismo. Ouvi uma integrante da banda agnela (péssimas) dizendo que trancou o curso por causa do diploma, viu, isso já é uma prova de que o cenário de jornal irá mudar, e esses sangue-sugas irão desistir no meio do caminho (para a minha felicidade). Antes todos faziam jornalismo, agora só farão quem realmente que ser "O" jornalista.

Muitos dizem que será um desastre pois até um cozinheiro de barzinho poderá ser jornalista. Nada disso!,me formarei para colocar ele no devido lugar,a cozinha, de onde não deveria ter saído. É claro que tudo tem seus prós e contras, mas eu prefiro avaliar com olhos otimistas, sei que será difícil ser respeitada como uma jornalista, mas só de pensar que o mercado será restrito aos interessados me animo muito(!).

Agora já formei minha opinião: Quero ser jornalista mesmo sem diploma! E não vou ligar se chamarão a profissão de "falta do que fazer", não ouvirei se disserem que serei pobre para o resto da vida (pois já sou mesmo e me sinto muito feliz), não me importarei se me olharão com receio. Reproduzirei cada ofensa como um estímulo a mais para ser melhor e melhor!
E no dia em que eu me formar sairei correndo pelas ruas gritando: Eu sou jornalista formada, sem diploma e sou feliz!!!







Magalli Souza