sábado, 19 de dezembro de 2009

Indagação digesta


E finalmente alcancei o que me fugiu durante esse longo e memorável ano, o tempo. Hoje posso dizer que não devo "prantear" lamentações, tudo o que fiz ao passar desses 12 meses foram escolhas minhas, e só minhas. Todas as frustração, infâmias, e torturas foi eu quem escolhi. Assim como as novas amizades, o convívio com o novo, as risadas, os shows, as diversões...a descoberta de uma nova profissão.
Não pretendo fazer desse blog um diário virtual, entretanto, não posso, e não devo, deixar de escrever algumas linhas sobre mudanças que sofri em 2009. A primeira de todas é que aprendi, forçadamente, a ter paciência com a vida, porém, não custa nada dar um empurrãozinho para que a paciência não se torne lentidão. Descobri que existem pessoas que pensam como eu, e com elas nunca há momentos importunos.
Apurei meus gostos musicais, audiovisuais e literários. Conheci novos indivíduos a quem irei me espelhar, além de sofrer um espanto ao saber que tenho dotes apurados para rádio e TV. Ao lidar com dupla, e até tripla, carga de estudos percebi que sei trabalhar sob pressão e lido muito bem com acumulações de tarefas, no entanto, reclamo bastante.
Tive momentos ruins também, mas nada que se sobressaia aos felizes, enfim, não tenho do que reclamar do ano de 2009, com meus dezoito anos nada é ruim demais que não se possa esquecer.Pode ser que um dia eu não siga por completo o caminho que comecei a construir hoje, mas tenho certeza que tudo valeu a pena, afinal, cheguei aqui com o pique para 2010.
E para comemorar a saída de 2009 dedico uma frase da banda Gram:
Quanto medo de não ter
a herança de um rei... Antes do fim.




Magally Souza

sábado, 26 de setembro de 2009

Hipóteses


Se o Mundo parasse...?
As pessoas congelassem...?
E só eu permanecesse!
Juro que esperaria alguns dias, sem medo, e talvez até feliz.

Feliz porque há muito tempo sinto falta de acordar tarde , me olhar no espelho e não ter nada programado para fazer.
Caminharia até a praia para tomar café deitada na areia.
Correria no meio da avenida sem me preocupar com os carros desesperados.
Entraria em uma biblioteca para ler o livro que quisesse e não os que me impõe.
Cantaria aos gritos todas as músicas que adoro, mas que nunca encontro alguém para compartilhar.
Choraria sem medo de que me vissem lamentando frustrações.
Não me importaria com roupas ou cabelo por receio de olhos alheios que sempre julgam.
Voltaria aos lugares da minha infância só para trazer de volta todos que não queria ter deixado.
Filmaria, estáticos, todas as pessoas que amo. E traria para meu lado as que gostaria de conhecer.
Me preocuparia mais com o presente e menos com o futuro.
Faria tudo que não tive coragem o suficiente para fazer, mas desejei.
Não me preocuparia em arrumar um emprego e viver em função de um papel cortado chamado dinheiro.
Viveria minha vida, ao invés, de procurar qualificações para ser boa o suficiente dentro do capitalismo.
Afastaria todas as pessoas que não quero rever nem por segundos.
Arrumaria tempo para tocar todos os instrumentos que me encantam .
Escreveria todos os poemas, músicas e histórias que não tive tempo de colocar no papel.
Iria atrás de todos os animais de estimação que tive e os deixei.
Jogaria fora meu computador, meu celular e optaria por viver mais perto das pessoas.
Aperfeiçoaria meus talentos e tentaria gostar das coisas que considero chatas.
Deitaria ao ar livre para observar a lua e as estrelas sem me preocupar com "o dia de amanhã".
Enfim, adormeceria com uma lágrima caindo dos meus olhos por saber que são só vontades "incumpríveis", hipóteses.




Magally Souza

domingo, 13 de setembro de 2009

Inovação


Acredito na inovação das pessoas, e considero essencial para o desenvolvimento de mentes pensantes, sejam inovações copiadas de ídolos ou criadas a partir de ídolos. Não creio que seja fácil criar coisas nunca pensadas antes, pois no momento em que vivemos é quase "impossível" pensar em algo que ninguém nunca escreveu em um papel.

Só Leonardo Da Vinci foi cientista, engenheiro, inventor, anatomista, pintor, escultor, arquiteto, botânico, poeta e musico. Nasceu no séc. XV e já idealizava o helicóptero, o tanque de guerra, a calculadora e outras centenas de engenhocas. Se naquela época ele já havia descoberto objetos que só seriam aplicados a partir do séc. XIX, imagine hoje o que os homens já criaram e idealizaram.

Na minha opinião não há muitas coisas a se criar, o que eu criaria? um robô terrorista para destruir a casa "blanca", ou uma máquina do tempo que pudesse ir atrás do Elvis, ou do Bob Marley. Coisas complicadas (e que com certeza alguém já pensou antes de minha humilde pessoa).

A história da Rock por exemplo, um senhor já de idade que tem muitas coisas a contar. Desde Elvis , Beatles, Ramones, Kurt Cobain, ACDC , Rita Lee, Raimundos... Até hoje, onde o termo "Rock" é colocado em cima de estilos melódicos, simples, iguais, com letras dramáticas que pregam a típica "dor de corno" do sertanejo (do qual nada tenho de oposição).

O cenário atual de música está igualzinho demais, todas as bandas que surgem buscam as mesmas coisas, até os vocalistas tem vozes iguais e femininas. E em meio e esse cenário, se perdem os "rebeldes da música", os rockeiros engajados, inteligentes, prontos para dizer o que pensam sobre a sociedade, e não sobre os namoros que não deram certos. Uma prova disso é a banda Dead Fish, típicos rockeiros engajados e prontos para mostrar aos fãs a realidade de uma sociedade brasileira, porém, não são "bons" para a mídia, não são comerciais.

Creio que a sociedade reflete o que escuta, dessa forma, hoje transparece na sociedade brasileira (ao meu ver) um grande grupo de adolescentes que enxergam apenas rosas e arco-íris, e deixam de lado o que realmente merece atenção. E assim, apenas cresce mais e mais o número de bandas que buscam apenas um grupo de fãs, algumas capas de revistas e uma grana fácil.

Muitos já viram que é preciso dar uma nova cara ao cenário rock, não só do Brasil mas de vários países do Mundo. A banda Pitty, por exemplo, (acredito) que fez o novo álbum pensando na inovação, sair de certos estilos (que prefiro não citar) mas que muitos andam querendo se enquadrar. O CD Chiaroescuro, ao meu ver, ressuscita um estilo mais antigo de rock, e muda completamente a pegada do últimos álbuns. Talvez por isso muitos admiradores dos CD's Admirável chip novo, Anacrônico e [DES]concerto não se agradaram muito com Chiaroescuro.

No entanto, considero essencial essa mudança da banda, busca por inovação, mesmo que não agrade a todos. O que me deixa abismada é que muitos, ao invés, de usarem o direito de falar na mídia para revelar letras que realmente valham a pena ser apreciadas, usam desses meios para dizer coisas irrelevantes. Porém, mesmo que eu não me agrade com o que vejo as pessoas escutando, de nada serei contra. Pois assim como Voltaire disse, seguirei: "Posso não concordar com nenhuma palavra que você disser, mas defenderei até a morte o teu direito de falar".
E que assim seja, liberdade de expressão.



Magalli Souza

quarta-feira, 29 de julho de 2009

Eu quero ser quando crescer....


Ainda há tempo para pensar nisso?
Astronauta,
Agente do FBI,
Caça vampiros!
Milionária
. ..
.. .
...

Não!, nada disso, "Jornalista" é a palavra certa. Não ligo se não é preciso de diploma para exercer a profissão, sei que comigo será diferente, porque eu quero que seja diferente, eu vou fazer ser diferente. E por mais que me desanimem, que digam que é incerto, perca de tempo, paranóia, é o que quero e não vou desistir de fazer.

Não sei se acho bom que não precise de diploma, minha opinião sobre isso ainda está se formando, o que eu sei é que os filhinhos de papai riquinhos e mimados não tentarão mais fazer jornalismo só para garantir o velho e valioso diploma (que, por sinal, se compra em qualquer esquina), agora eles pensarão duas vezes antes de tentar fazer uma profissão que outras pessoas sem diploma possam exercer.

Ainda há outros pontos positivos, as "faculdadezinhas" de merreca que ofereciam o curso de jornalismo agora irão fechar pois não será rentável mantê-lo, e os parasitas que antes estavam dentro da sala de aula dormindo para garantir o diploma agora serão obrigados a dormir em casa e, prevalecerão os mais interessados, que serão os melhores, que não ligam se há diploma ou não, pois estão lá para se FORMAR e não para receber um mero papel escrito o próprio nome a que todos o chamam de DIPLOMA.

Passei a observar a opinião das pessoas e percebi que só se irritam com isso os indivíduos medíocres que queriam o status de jornalista para se dizer mais intelectual. Agora as bailarinas do caldeirão do Huck e do Faustão não terão mais pretestos para divulgar nas revistas que são inteligentes e que fazem jornalismo. Ouvi uma integrante da banda agnela (péssimas) dizendo que trancou o curso por causa do diploma, viu, isso já é uma prova de que o cenário de jornal irá mudar, e esses sangue-sugas irão desistir no meio do caminho (para a minha felicidade). Antes todos faziam jornalismo, agora só farão quem realmente que ser "O" jornalista.

Muitos dizem que será um desastre pois até um cozinheiro de barzinho poderá ser jornalista. Nada disso!,me formarei para colocar ele no devido lugar,a cozinha, de onde não deveria ter saído. É claro que tudo tem seus prós e contras, mas eu prefiro avaliar com olhos otimistas, sei que será difícil ser respeitada como uma jornalista, mas só de pensar que o mercado será restrito aos interessados me animo muito(!).

Agora já formei minha opinião: Quero ser jornalista mesmo sem diploma! E não vou ligar se chamarão a profissão de "falta do que fazer", não ouvirei se disserem que serei pobre para o resto da vida (pois já sou mesmo e me sinto muito feliz), não me importarei se me olharão com receio. Reproduzirei cada ofensa como um estímulo a mais para ser melhor e melhor!
E no dia em que eu me formar sairei correndo pelas ruas gritando: Eu sou jornalista formada, sem diploma e sou feliz!!!







Magalli Souza

domingo, 28 de junho de 2009


Porque antes mesmo de escutar a música eu já me encantei pela letra!




Água Contida


Eu, chorando
Com essa cara toda amassada
Com esse olho em carne viva, retalhada
E esse nariz que não pára de escorrer




Eu, chorando
Tão previsível quanto areia no deserto
Mais patético sem ninguém por perto
Tão imenso que não dá mais pra conter




Então sai, deixa correr
Toda a água contida
Então sai, deixa correr
Toda mágoa velada é água parada
E uma hora transborda





Você pode não entender se às vezes fico pelos cantos
Um tanto quieta, recolhida, mergulhada no meu pranto
É que ele me liberta na hora
No momento em que eu boto pra fora
O que já não me serve vai embora
E assim, eu fico leve




Pitty

terça-feira, 16 de junho de 2009

Prazer em ser diferente de você!





Não venha dizer que sou auto suficiente, na verdade essa frase (do título) está na letra da música "Por não ter o que dizer" da banda Dead Fish, uma das minha mais novas inspirações na área musical.
____________________________________________________________________
E foi através dessa musica que hoje, mais do que nunca, sei que ser diferente de você é uma virtude.Não estou desfazendo da personalidade de ninguém, ao contrário, o que me faz observar certas pessoas que me cercam é exatamente o fato de saber que você é diferente de mim.
______________________________________________________________
Acredito em Lavoisier quando disse que nada se cria, tudo se transforma .Assim como eu, que já fui uma pessoa tão.... pacata é a palavra certa, e agora a cada dia que presto atenção em minhas atitudes sei que a ingenuidade das crianças e a confusão dos adolescentes, não fazem mas parte do que sou.
_____________________________________________________________________
Mas isso não me transtorna, não me magoa e nem me frustra, ao contrário, me constrói. E é essa construção de idéias que me forma a cada segundo, hoje sei que sou egoísta para alguns, mas também sei que sou incontestável para outros. ______________________________________________________________

E para mim, sou eu mesma, nada além de uma pessoa que busca um caminho diferente para encontrar o mesmo lugar comum da humanidade, percebi que já não é meu forte sonhar demais, e hoje com os pés ainda flutuantes não me importo se daqui a dez anos ainda terei sonhos a realizar, o que me pergunto todos os dias é se terei a mesma urgência em viver, preencher minha mente e expandir minha alma.





Magalli Souza

sábado, 9 de maio de 2009

Degraus que ando


Porque é difícil esperar cada
degrau aparecer,

É intediante olhar para trás e
ver cada um deles surgir,

É preocupante ver que o
tempo não para a sua contagem.

É desonesto fugir quando se tem
uma meta,

É tentar encarar como um
encômodo, o que na verdade é um grande problema.

Mas é fácil gritar quando cada
degrau se perde,
É incontrolável não xingar ao
ver cada um deles partir,

É inaceitável ver que o tempo
nunca vai parar para te esperar,

É improvável não chorar diante de um erro.
É olhar para um rio e enxergar um
abismo.


E em cada situação o corpo resolve agir da sua maneira,
mostrando a dor de uma perda, e a alegria de uma
conquista.
Fazendo com que todas as sensações sejam sentidas da maneira
mais intensa. O medo se torna terror e a angústia uma dor no peito que
dilacera a alma.

E tudo é encarado com raiva e ódio,
perguntas e ignorância,
para que no final de uma longa jornada de luta e cansaço
o ser humano olhe para trás e diga:
"Eu realmente vivi a vida!"
Isso só prova que o homem é
incompreensível.


Magalli Souza

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Caótico?


E é sempre assim, a mesma pergunta por todos os lados: Por que o Mundo está um caos? a resposta nunca é complexa, e sempre há multidões que concordam.

Porém, de uns tempos pra cá eu não tenho respostas para essa pergunta, e isso se deve ao simples fato de que, desde criança ouço as pessoas dizerem que o Mundo está um caos! Meus avós e pais nunca deixaram de se queixar da mesma situação, e isso só me levava a pensar que antigamente, bem antigamente o Mundo deveria ter sido uma maravilha, mas a verdade é que nunca foi, todos teimam em repetir a mesma frase, no entanto julgam e enxergam de forma errada.

Sempre quando acontecem catástrofe, roubos, sequestros, mortes e violência as pessoas indagam que vivemos um um lugar perdido, desorganizado, anárquico, e não param pra pensar que nunca houve um tempo só de calmaria e paz. E a prova disso está nos nossos antepassados, que viveram em situações talvez piores que a nossa, como as Guerras Mundiais, os períodos de bombas, as ditaduras, as perseguições, até nos tempos da Grécia ocorreram momentos desastroso.

Se o planeta foi feito para nós, e ainda assim é caótico, significa que somos seres confusos e desordenados e a Terra apenas transparece isso. E é a partir desse entendimento que hoje eu levo minha vida sem frases feitas e sem respostas óbvias, apenas aceitando e agradecendo por estar viva em um lugar que é a minha e a sua cara!






Magalli Souza

sábado, 4 de abril de 2009

Olhando para o Teto


Sempre quando não se tem nada pra fazer agente simplesmente não consegue fazer nada, ou seja, a falta do que fazer causa preguiça. E isso é pura verdade usando a lógica de que, quando eu não tinha tempo pra nada conseguia fazer tudo o que queria, é claro que eu reclamava, mas sempre dava um jeito pra tudo.

Agora não, é como se fosse uma regra que meu corpo teima em seguir, hoje mesmo( sábado) eu acordei disposta estudar, escrever,arrumar, antecipar... E até agora ( 19:23) as únicas coisas que fiz foram um tanto irrelevantes, e isso me frustra, pois para um ano em que eu planejei fazer tantas coisas, simplesmente já é Abril e eu não cumpri minhas próprias promessas.

Aos poucos me causa uma angústia, minha meta desse ano é a UFES e o meu cursinho ainda tem duas semanas pra começar, ou seja, pouco menos de oito meses para estudar até o vestibular, e isso não é bom se comparado aos estudantes que estão desde Janeiro dentro da sala de aula, mas ainda assim não posso reclamar de muita coisa, pois passei em um curso técnico público e um pré-vest público também, e isso é um estímulo.

No entanto, apesar dessas conquistas não há nada que me possa tirar a insegurança, pois se alguém falar que não se sente inseguro diante de um sonho estará mentindo, a insegurança faz parte desse processo de realizações, e se não fizer é porque não existem sonhos almejados.
E é isso o que mantém de pé, os meus sonhos, que para alguns podem ser pequenos ou exagerados, mas para mim é do tamanho certo, e quando eu realizá-los virão outros e outros.

E por enquanto eu permaneço aqui, na sala olhando para o teto, que parece sem graça agora, mas foi o estímulo para eu escrever esta postagem, e é por isso que ele merece a foto central de hoje, pois além de me ajudar indiretamente a escrever ainda conhece tudo sobre minha pessoa, já imaginou se tetos falassem? não quero nem pensar o que diriam de mim!








Magalli Souza


quarta-feira, 1 de abril de 2009

Tudo Mudou Por Aqui



Tudo mudou por aqui,
porque tudo sempre muda e não vai parar.
Amigos mudam, coisas mudam, o mundo muda, você muda
e eu nada faço além de tentar acompanhar esse ritmo.
A minha mudança é diferente, lenta, aos poucos, não porque é meu ritmo,
mas porque eu quero, é fascinante descobrir que todos seguem um rumo
e eu fico só a observar (seguindo o meu também, que não é nada desinteressante).





Amigos crescem e se tornam irreconhecíveis,
familiares envelhecem e agente nota que a vida passa rápido,
lugares se modificam e não são mais nossos cartões postais de memórias antigas.
E o vento leva tudo, as vezes sem deixar rastros para trás.





É incrível a quantidade de pessoas que passam por nossas vidas
já parou pra contar quantas pessoas já te cativaram?
Desde criança sempre temos um melhor amigo(a), o tio mais engraçado, a professora mais querida, o colega mais bobo, o grupo mais louco e juramos nunca esquece-los.
Mas o tempo passa e eles acabam se tornando, o antigo amigo verdadeiro, o velho tio que já não é tão engraçado, a professora que já não é mais jovem, o colega bobo que cresceu e ficou sério e o
grupo louco que se separou e já não mais existi.





O espelho muda, e a cada dia surgi uma imagem diferente, mais madura
mais imponente, talvez mais séria ou mais largada, com sonhos novos ou antigos,
cheia de lembranças, amores e desamores.
E é sempre assim, seguindo um ritmo que levamos a vida, o meu a cada dia encontra um
tempero diferente, quero o sossego do samba, mas também a loucura do rock,
a leveza lírica e a doçura do folk, eu quero ver a vida sorrindo pra mim, e quero sorrir pra ela,
e talvez o mundo me dê uma chance de fazer dessa mistura um novo estilo de viver!







Magalli Souza

quarta-feira, 18 de março de 2009

Ter e Ser

Ter amigos,____________Ser mocinho
______________é
inimigo _______________ser vilão.




Ter alegria,____________Ser feliz
_____________é
pessimismo____________ser chato.




Ter bondade,__________Ser bobo alegre
_____________é
maldade _____________ser ruin.




Ter vontade,___________Ser perseverante
_____________é
acômodo______________ser preguiçoso.




Ter planos,____________Ser preparado
_____________é
impulsos_____________ser inconsequente.




Ter muito dinheiro,_____Ser inteligente
_____________é
o bolso vazio__________ser predestinado.



Ter ideias,___________Ser inovador
_____________é
padrões_____________ser conservador.




Ter sempre será ser

Ser sempre será ter.





Magalli Souza

domingo, 15 de março de 2009

Meu 2009





O que posso dizer das minhas expectativas para o longo ano de 2009?
Que será mais um ano de provas, estudos, informações
simulados, força de vontade, curso técnico, professores, pressão, mais provas, testes, horas e horas no ônibus, livros, redações, muito sono, pouco tempo pra tudo, muuuito cansaço, dicas, observações, mais provas, Enem, mais pressão, estudos em casa, desespero, insônia, concorrência, nervosismo, vontade de chorar, gritar e finalmente VESTIBULAR! (não acaba por ai).
Depois vem o resultado, as questões canceladas, o medo, a confiança e ao mesmo tempo insegurança, os comentários, os jornais e finalmente o tão esperado RESULTADO! (ainda não acaba por ai, tem a segunda etapa, que será o mesmo processo porém, com mais pressão).
E por incrível que pareça é isso que eu desejo para o meu ano de 2009, pois tudo será uma recompensa quando meu nome estiver estampado na lista de aprovados. E no final das contas tudo valerá a pena, eu tenho certeza.





Magalli Souza

segunda-feira, 9 de março de 2009

Marcantes






Foram ricos , pobres, alegres, tristes,
viveram, muitas vezes sofreram, assim como sofremos todos em vida.
Ajudaram, ensinaram, erraram, e todos os verbos possíveis puderam viver e sentir, pois foram célebres, capazes e completos no que se dedicaram.
Alguns foram mestres em vida, outros só reconhecidos após a morte, mas todos deixaram suas marcas em algum canto do Mundo.



Sempre com nomes fortes e marcantes, quase adivinhando que seriam bem falados e conhecidos:
Ludwig Van Beethoven; Wolfgang Amadeus Mozart; Kurt Donald Cobain; Vicent Van Gogh; Renato Manfredini Júnior; Ernesto Guevara de la Serna; Vinicius de Morais, Robert Nesta Bob Marley; Agatha Mary Clarissa Christie,; Joaquim Maria Machado de Assis...
Alemão, Aústriaco, Estadunidense, Holandês, Brasileiro, Argentino...A natureza não escolheu onde nasceriam algumas inspirações do mundo, apenas nasceram e tornaram seus dias ferramentas intensas para a lapidação de feitos marcantes para a história.




Seja no piano, nas composições, na pintura, na música, nas causas sociais ou na escrita, todos
estes encontraram um meio de se comunicar com muita gente. Sendo únicos e
humanos conquistaram patamares que muitos almejam ou já almejaram.
Passaram mensagens, ganharam seguidores (mesmo após a morte),
criticaram e foram criticados, viveram vidas esquisitas, muitas vezes dolorosas
ou alegres, mas foram essas vidas que abriram certos caminhos para muitos.





Conquistaram um belo lugar e morreram das mais variadas e curiosas formas, como se até a morte tivesse de ser diferente para eles.
No entanto, podem ter sido gênios, incríveis e extraordinários, mas não foram perfeitos e certos, pois foram humanos como todos os que erram, caem e perdem. Na verdade foram pessoas que vieram, viveram INTENSAMENTE e não deixaram a vida passar sem cravar uma marquinha nela. Mas ao contrário de muita gente, eles preferiram que essa "marquinha" fosse vista por todos.




São bem lembrados e reconhecidos, verdadeiras inspirações para muitos,
deixaram linhas escritas, e também uma legião de adimiradores.
Podem não ter sido pessoas merecedores de tanta fama,
mas sem dúvida se tornaram lendas inspiradoras
devido à capacidade de não temer
a vida e não lembrar da morte.





Magalli Souza

quarta-feira, 4 de março de 2009

A Musicalidade da Música




Modos __________ moldados e_________ medidos

Unicamente_______unindo____________ utopias

Silêncios_________ selecionados________surgem,

Inspirações_______ intrigantes__________interam

Coisas___________comuns____________completam-se

Amantes_________alternam___________amores.


Cantam quando sentem:

de algo ou alguém,
REzam quando querem algo ou alguém,
MIstificam pessoas para realizar desejos de algo ou alguém,
FAzem homenagens para agradar algo ou alguém,
SOLtam versos cantados para animar algo ou alguém,
crimejam palavras para alertar algo ou alguém,
SImulam quando é preciso mostrar a realidade para algo ou alguém!


Através da criatividade são capazes de revelar a vida...
Pintam Pianos,
Velejam em Violões,
Gritam Guitarras,
Criam Canções,
Vagam em Violinos,
Flertam em Flautas
esse é a vida do verdadeiro músico
sem Pentagramas e Pautas.



Magalli Souza

segunda-feira, 2 de março de 2009

Todo conhecimento é válido?


Procurar especializações profissionais está se tornando rotina em nossa vida, tudo porque o mercado de trabalho fica mais exigente e rigoroso a cada dia, e para conseguir uma inserção nesse meio tão disputado é preciso ter um diferencial, ser preparado e QUALIFICADO.


No entanto, é válido lembrar que nem todos os tipos de qualificações são benéficas. Hoje em meu primeiro dia de aula no curso técnico escutei de um professor,uma frase que realmente têm sentido: -Ter uma "pilha" de diplomas, das mais diversas áreas, não te tornará uma pessoa preparada para o mercado de trabalho.


Ser versátil é essencial para uma vida profissional estável, mais isso não quer dizer que é preciso ter um aprimoramento de todas as profissões possíveis. Ter um diferencial não se resume um conhecer tudo, mas sim o máximo da área em que se quer atuar, para exercer da melhor forma possível sua escolha e não ser um profissional frustrado, com muitas áreas e pouco conhecimento das mesmas.


Saber um pouco de tudo é bom, pois é dessa forma que descobrimos o que realmente queremos exercer, entretanto, ter conhecimento do que NÃO queremos ser é significativamente mais importante. É claro que sempre haverá indecisões, mas o relevante é que a construção do conhecimento é feita ao longo da vida e não em acúmulo de tarefas.


É perceptível que as escolhas profissionais interferem diretamente na vida pessoal de cada ser humano. Logo, ser decidido é o primeiro passo para alcançar o que o mercado de trabalho espera, o diferencial.



Magalli Souza

domingo, 22 de fevereiro de 2009

Vivendo Agora

Lembranças boas ou ruins sempre surgirão,
para nunca deixar vazio o passado que um dia esteve vivo.
Pois tudo o que aprendemos, sejam erros ou acertos,
nunca serão esquecidos.
Saudades são como pássaros, voam, voam...e desaparecem,
o que resta é o "AGORA" , o Presente fresco em nossas mãos.
O perigo é nunca se encontrar, fingir que vive sem limites,
querer andar fora da direção.
Ser jovem não é errar sempre, nem sacrificar leis e regras
e dizer que está sempre descontente.
Tão pouco querer viver sem controle, imaginar que sempre
estará sozinho,ser pessimistas, ser imaturo,
viver inconscientemente.
Ser jovem é olhar para frente, traçar o caminho correto e ser coerente.
É aprender com os próprios acertos e, observar os erros alheios.
É entrar na vida de muitos e não deixar feridas,
mas sim rastros para que te encontrem sempre quando for preciso.
É ser maduro o bastante para criar novos meios
de viver intensamente.
O passado pode nos trazer boas lembranças,
mas o que importa é o presente.
SOMOS JOVENS.
E assim como cantou Renato Russo: " Temos todo o tempo do Mundo"
para viver o AGORA e planejar o DEPOIS.
Magalli de Souza

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Mundo Mudo

O Mundo está mudo, não é opressão,nem falta de
liberdade. A verdade é que o homem, perdeu a sua maior qualidade, a de questionar.
Questionar sobre a vida, sobre o caus que se vive, a pobreza, a desigualdade, e até sobre as coisas mais simples que se possam imaginar.
Não mais vivemos em uma época de ditadura, quando as pessoas eram reprimidas e forçadas a se calarem e, mesmo assim tinham forças para não se renderem ao silêncio. Então o que explica essa falta de ânimo de alcançar a verdade?
Talvez o simples fato de que hoje tudo se tornou normal, uma criança pedindo dinheiro no farol se tornou comum, a pedofilia também, a corrupção, as rivalidades entre países, as guerras não explicadas, tudo e todos se acomodaram. Não há mais união entre as pessoas para protestarem sobre as causas comuns e sérias, os universitários não promovem mais suas indignações perante ao governo, não há bocas o suficiente unidas para gritarem contra os erros.
E assim tudo permanece igual, nada muda a não ser a esperança que a cada dia cresce mais e mais. Porém, essa tal de Esperança já resolveu algum problema no Mundo? eu nunca ouvi feitos heróicos dela! se alguém conhece algum deles, me conte.
É preciso mudar esses velhos pensamentos e começar agir pelas verdadeiras causas que merecem nosso apoio, para que o Mundo volte a falar e deixe de ser mudo.